Anônimas

PODE SER QUE A GENTE CONTE A SUA HISTÓRIA.


s.f. / Mulher: ser humano do sexo feminino; aquela que atingiu a puberdade; esposa, amásia / concubina; mulher à toa / mulher da vida; mulher pública, meretriz. (Dicionário do Aurélio)

“Amásia” ?
“À toa” ?
“Meretriz” ?

A Mulher é o ser humano levado ao extremo. Das emoções, das loucuras, dos desejos, da beleza, do mistério. Nosso espaço é um puzzle de vidas femininas que se permitem desnudar em algum lugar da alma e se arriscar no espaço pulsante das não-certezas, se descobrindo vulneráveis, frágeis, porém acesas! Histórias e sentimentos de mulheres apaixonantes, que se cruzam e se tocam e se instigam, num labirinto de onde nenhum ser humano sairá ileso.

VOCÊ PODERIA ESTAR NA FOTO.

(...) alguns textos são estórias reais. Outros foram escritos na primeira pessoa. Mas por um homem. Outros mais, foram escritos pelas próprias atrizes. E algumas atrizes se apropriaram de estórias de outras atrizes. E nessa dúvida tudo se torna real. Mais que isso. Em cada texto, as emoções são tão reais, os sentimentos tão genuínos, as estórias tão verossímeis, que a identificação é imediata e inevitável. Não se engane, qualquer que seja sua aposta, você está enganado.
Roberto Naar, Diretor


UM ESPETÁCULO DE TEATRO DOCUMENTAL
de Roberto Naar

COM
Adriana Quadros Camilla Molica Carol Fazu • Carolina Floare Day Mesquita Dayse Pozato Fernanda Martinez Kotoe Karasawa Lazuli Galvão Leandra Lopez Márcia Cerqueira Mariana Cortines Marina Simões Mônica Bittencourt Nadia Nardini Natasha Stransky Regiana Antonini Roberta Teixeira Salles Thereza Mascarenhas Thiana Bialli Vanessa Pascale Zulma Mercadante

♀ 22 ATRIZES CONTAM HISTÓRIAS DO UNIVERSO FEMININO
22 mulheres de diferentes estilos e origens, que vão dos 22 aos 60 anos, mas que carregam em comum o desejo de se deixar revelar através dos seus relatos mais pessoais, por vezes jamais confessos, se revezam em cena, apresentando-se 12 a cada noite, num espetáculo sempre diferente.

Este é o mote de "Anônimas", peça com direção de Roberto Naar que ocupará dois espaços em temporadas simultâneas – no Teatro Municipal do Jockey de sexta a domingo e no Midrash Centro Cultural às quartas e quintas, durante o mesmo período, sempre às 21 horas.

Os textos, criados por Naar e pelas atrizes Carolina Floare, Mariana Cortines, Monica Bittencourt, Camilla Molica, Dayse Pozato, Roberta Teixeira, Thiana Bialli, tratam dos mais variados assuntos ligados ao universo feminino, e se dividem entre relatos verídicos e ficcionais, sem que o público saiba quais fazem parte do primeiro ou do segundo grupo. O diretor, seguido pelas atrizes/autoras, escreveu os textos em primeira pessoa, dando voz ao sentimento de diferentes “mulheres anônimas” que, por poderem estar em qualquer lugar do mundo, ou ser qualquer mulher, são todas e são únicas.

Sem conhecer a procedência dos relatos, o espectador é convidado a ser o interlocutor da intimidade destas mulheres que, através da exposição dos seus sentimentos mais profundos, buscam a reconexão consigo mesmas e com o outro.

♀ COMO TUDO COMEÇOU
O processo de criação deste trabalho teve origem nos encontros que Roberto Naar começou a promover com um grupo crescente de atrizes, que chegaram a totalizar 42. O trabalho foi iniciado com leituras de textos de Naar e, ao longo dos encontros, as atrizes foram estimuladas a incorporar suas próprias experiências e seus depoimentos que, transformados em textos e somados aos primeiros, deram origem à peça.
O material produzido pelo grupo é grande. Os textos apresentados no Teatro do Jockey não serão os mesmos do Midrash, e mesmo em cada espaço eles poderão ser interpretados por diferentes atrizes, fazendo com que uma sessão nunca seja igual à outra.

♀ SEM DIVIDIR PALCO E PLATEIA
A peça se vale de um dos costumes mais simples e ancestrais do ser humano, e fundamento do teatro – contar histórias.
Abolindo a divisão dos espaços, público e atrizes estarão sentados em cadeiras comuns e dispostos em grandes rodas concêntricas, numa relação de proximidade e horizontalidade que reforça o tom intimista e confessional dos relatos.

♀ ROBERTO NAAR: DIRETOR E AUTOR
Roberto Naar tem uma sólida carreira construída na televisão como diretor. Há quase 25 anos dirigindo os melhores atores e atrizes em mais de 20 novelas, séries e shows, em sua maioria na TV Globo, está fazendo sua estreia na direção teatral com “Anônimas”.
Naar estreou como diretor no megassucesso “Pantanal”, da extinta TV Manchete, depois de 5 anos de experiência como câmera.
Desde 1993 até hoje, Roberto Naar é diretor contratado da TV Globo. Dirigiu as novelas "O Mapa da Mina", "Sonho Meu", "Pátria Minha", "História de Amor", "A Indomada" e "Meu Bem Querer".
A partir de 1999, Naar passou a atuar como diretor geral de novelas. Dirigiu "Por Amor", "Vila Madalena", “Porto dos Milagres", “O Beijo do Vampiro” e o seriado "Carga Pesada”, estrelado por Antônio Fagundes e Stênio Garcia. Durante quatro anos foi diretor geral deste seriado.
Em 2008, dirigiu "A Favorita", novela de estreia de João Emmanuel Carneiro no horário nobre. E seguiu dirigindo os programas "TV Globinho", "Mais Você", "Jogo Duro" e "Vídeo Show".

♀ FICHA TÉCNICA
Textos: Roberto Naar • Carolina Floare • Mariana Cortines • Monica Bittencourt • Camilla Molica • Dayse Pozato • Roberta Teixeira Salles • Thiana Bialli
Direção: Roberto Naar
Assistência de Direção: Fernanda Martinez 
Cenografia: Fumi Hashimoto
Figurino: Lessa de Lacerda
Visagismo: Carlos Peder
Preparação Corporal: Antonio Negreiros e Marcia Albuquerque
Fotos de Estúdio: Ernani D’Almeida
Fotos de Cena: Guga Melgar
Grafismo: Luiz Pegoraro
Produção Executiva: Fernanda Martinez
Assessoria de Imprensa: JSPontes Comunicação – João Pontes & Stella Stephany

♀ SERVIÇO
CLIQUE NO LOCAL DESEJADO PARA ACESSAR O EVENTO NO FACEBOOK

TEATRO DO JOCKEY | Gávea, Rio de Janeiro | 25/07 a 07/09

MIDRASH Leblon, Rio de Janeiro | 06/08 a 18/08

O diretor Roberto Naar e as atrizes (da esquerda para a direita): Zulma Mercadante, Carolina Floare, Leandra Lopez,
Vanessa Pascale, Day Mesquita, Monica Bittencourt, Regiana Antonini, Fernanda Martinez, Roberta Teixeira Salles,
Márcia Cerqueira, Natasha Stransky, Dayse Pozato, Nadia Nardini, Camilla Molica, Lazuli Galvão, Kotoe Karasawa,
Adriana Quadros, Carol Fazu, Marina Simões, Mariana Cortines e Thereza Mascarenhas.
As atrizes (da esquerda para a direita) Regiana Antonini, Thiana Bialli, Carolina Floare,
Thereza Mascarenhas, Mariana Cortines e Vanessa Pascale durante o processo de criação do espetáculo.

© Carolina Floare Borona 2010-2019. Design flordelua. Tecnologia do Blogger.